Secretaria de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), por meio do Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo), vinculado à Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan) da pasta, participou da I Conferência Internacional de Políticas Públicas e Ciências de Dados do Amazonas.

No evento, realizado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade de Aveiro (Portugal), com o apoio do Governo do Estado do Amazonas, a equipe do Degeo apresentou o artigo intitulado “Análise de Séries Temporais para o Produto Interno Bruto do Amazonas”, que trata deste que é um dos indicadores mais relevantes da macroeconomia, obtido a partir da soma dos valores adicionados da Agropecuária, Indústria e Serviços somados aos impostos sobre Produtos.

O objetivo do estudo é realizar estimativas para o PIB do Amazonas, a fim de auxiliar os gestores, já que o PIB atualmente apresenta uma defasagem de dois anos. Por meio dessas estimativas, os gestores podem tomar decisões mais assertivas, uma vez que o indicador é essencial para o planejamento orçamentário e investimentos em áreas como saúde, segurança, educação e infraestrutura.

“A conferência reforça a importância dos dados como base para a tomada de decisões e destaca como a modelagem estatística preditiva com uso de ferramentas de softwares de linguagens científicas de programação, resultantes de dados estimados, contribuem para direcionar cenários e identificar tendências de políticas públicas”, destacou Josenete Cavalcante, chefe do Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo) durante o evento.

Josenete ressaltou que os trabalhos apresentados foram fundamentados em dados, evidenciando a relevância de informações confiáveis para a formulação de políticas públicas eficazes; e que a colaboração entre a classe acadêmica e o governo estadual foi um fator essencial para o aprimoramento das políticas públicas, especialmente no que diz respeito ao fortalecimento da ciência de dados.

Sobre o estudo

Os dados utilizados para compor o PIB foram obtidos do Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), em parceria com a Sedecti, por meio de uma série histórica que abrange o primeiro trimestre de 2010 até o quarto trimestre de 2020.

A estimativa do PIB foi realizada por meio de uma análise estatística de Séries Temporais, que consiste em um conjunto de observações ordenadas ao longo do tempo. Cada ponto de dados está associado a um determinado instante no tempo, podendo ser coletados em intervalos regulares ou irregulares, dependendo do contexto. Para a análise e posterior estimativa, os setores foram analisados separadamente por suas atividades, sendo a Agropecuária composta por três atividades, a Indústria por quatro atividades e os Serviços por onze atividades.

No total, foram utilizados três modelos para as estimativas. Essa análise se torna necessária devido à defasagem de dois anos do PIB, decorrente do processo de coleta de dados. As estimativas geradas pelos modelos foram consideradas satisfatórias em comparação com os dados observados, e os resultados estimados para o PIB do Amazonas para os anos de 2021, 2022 e 2023, foram, respectivamente, R$ 127,992; R$ 135,040 e R$ 141,202 bilhões.

A análise de séries temporais para o PIB trimestral do Amazonas proporcionou informações valiosas para os gestores, permitindo uma melhor compreensão da dinâmica econômica do estado e auxiliando na tomada de decisões estratégicas. A utilização de modelos de séries temporais demonstrou ser uma abordagem eficaz para estimar e prever o PIB, contribuindo para o planejamento e desenvolvimento econômico regional.

Fotos: Victória Lima/Sedecti

Leia Também: Suframa promove Workshop de incentivo à inovação tecnológica