O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), por meio de sua Gerência de Controle Agropecuário (Gecap), está realizando no município de Boa Vista do Ramos (distante 271 km de Manaus), na região do Baixo Amazonas, o curso de capacitação em Georreferenciamento e Retificação do Cadastro Ambiental Rural (CAR), para técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), da Secretaria de Produção Rural (Sepror), do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), cooperativas e sindicatos. O curso teve início na segunda-feira (10/07) e finaliza nesta sexta-feira, (14/07).

O diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, ressaltou a importância do trabalho integrado de órgãos estaduais e municipais, dando agilidade ao atendimento da população que vive no interior do estado.

“Capacitações como esta trazem as secretarias municipais para mais perto do Ipaam, desenvolvendo assim uma parceria na hora da regularização do CAR, tão importante para o controle de áreas ambientais. O trabalho integrado não apenas facilita o diálogo entre os órgãos como também dá celeridade ao processo de quem quer se regularizar”, afirma Juliano Valente.

A capacitação tem como objetivo dar celeridade às análises de CAR e licenciamento das atividades produtivas. Na oportunidade, as analistas ambientais da Gecap do Ipaam, Liliane Minhós e Kikue Muroya, juntamente ao consultor GIZ, Miquel Conegá, e as consultoras do Projeto Floresta Mais, Julia Linhares e Mylena Panza, divulgaram os benefícios disponíveis para quem mantém as florestas em pé.

O Projeto já concedeu aprovação do benefício de quatro proprietários de imóveis rurais que mantêm o excedente de vegetação nativa de seus imóveis.

Liliane Minhós explica a dinâmica do Projeto Floresta Mais. “Ao invés de desmatar os 20% do imóvel que eles têm direito, eles optaram por mantê-la em pé, e por isso são beneficiados. É o que chamamos de pagamentos por serviços ambientais. Esses quatro (proprietários rurais) foram beneficiados com pagamentos que variaram de  R$1.900 a R$ 10.000 reais/ano, dependendo da quantidade de área de floresta na área de uso que eles têm”.

CAR

É um registro público eletrônico nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais do país, compondo uma base de dados nacional das propriedades e posses rurais, que pertence ao controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento pelas autoridades ambientais. A inscrição do imóvel rural no CAR é realizada eletronicamente, por meio de sistema integrado ao órgão estadual competente, na Unidade da Federação em que o imóvel se localiza – no caso do Amazonas, o Ipaam.

Sobre o Floresta Mais

O Programa Floresta Mais é uma ação do Ministério do Meio Ambiente para criar, fomentar e consolidar o mercado de serviços ambientais, reconhecendo e valorizando as atividades ambientais realizadas e incentivando a sua retribuição monetária e não monetária em todos os biomas brasileiros. O Projeto Floresta Mais Amazônia é focado em uma região específica e compõe o programa nacional.

 

Leia também: Destinos da Amazônia Legal estão entre os 100 lugares incríveis no Brasil