Com o período de estiagem severa no estado, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) orienta os agricultores familiares a implementar algumas medidas emergenciais com o objetivo de amenizar perdas agrícolas.

“Nossos técnicos estão à disposição nas 72 unidades do Idam em todo estado para orientar os agricultores familiares que façam uso de técnicas de manejo e tecnologias mais adequadas para mitigar os efeitos da estiagem nas lavouras”, ressaltou o diretor-presidente do Idam, Vanderlei Alvino.

No caso de o produtor ter fonte de água próximo a área de plantio, a orientação é fazer irrigação da cultura. Por outro lado, e tendo em vista a dificuldade de acesso à água por conta da vazante, quando possível, a técnica indicada pelos especialistas é de molhação.

A molhação consiste no fornecimento de água à planta, sem análise da necessidade hídrica exata de cada cultura e de cada estágio de desenvolvimento da planta. É uma técnica que poderá amenizar as perdas agrícolas, mas não garante a expressão de todo potencial produtivo.

Plantio

Conforme a gerente de Apoio à Produção Vegetal do Idam, Anecilene Buzaglo, uma sugestão para o agricultor é avaliar a possibilidade de adiar o plantio em cerca 20 ou 30 dias, em casos de culturas temporárias de ciclo médio.

“Algumas culturas aqui no estado, como arroz e, principalmente, a mandioca, é plantada nessa época do ano, então sugerimos que o agricultor espere para iniciar o plantio dessas culturas que tradicionalmente ocorrem nessa época do ano”, destacou a gerente.

Nas culturas perenes, o uso da palhada ajuda a diminuir a perda de água por evaporação e a manter a umidade no solo, o que pode ser feito com palha, plantas não cultiváveis e restos vegetais.

Proteção

O aceiro é mais uma técnica de manejo apontada pela especialista para proteger a lavoura, dessa vez, de focos de incêndio em vegetação. A limpeza de todo perímetro ao redor do plantio é essencial durante a seca para prevenir que o fogo se alastre e atinja a cultura.

Na área de cultivo, o Idam orienta que o agricultor não realize a capina, seja ela química ou mecânica, sobretudo, nas culturas permanentes. A técnica é, normalmente, usada para retirar plantas invasoras indesejadas, entretanto, durante a seca, não se faz necessária.

“A cobertura vegetal mantém a umidade do solo, não deixa o solo exposto, evita-se a perda de água e também, nesta época do ano, ela não compete, de forma significativa, por nutrientes ou água com a cultura principal”, explicou a gerente.

Tecnologia

A utilização de hidrogel no plantio, também conhecido como gel agrícola, também é indicada nas culturas permanentes, como açaí e laranja, entre outras. O produto se expande quando entra em contato com a água e, ao ser depositado na planta, vai liberando água aos poucos.

O hidrogel pode ser adquirido em casas agropecuárias e não exige recomendação profissional para uso pelo agricultor, entretanto, observar a quantidade necessária para as diferentes culturas. Em caso de dúvida, o agricultor pode procurar um técnico do Idam no seu município para receber as orientações necessárias.