No município de Autazes (a 113 quilômetros de Manaus), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) acompanhou a segunda etapa de inseminação artificial de bovinos, realizada na quinta-feira (29/06), como parte do Programa + Pecuária Brasil, que tem objetivo de beneficiar pecuaristas com melhoramento genético dos rebanhos.Idam acompanha segunda etapa

 

A atividade é fruto de um convênio firmado entre Governo Federal, Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Produção Rural (Sepror), Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), o Idam e a Confederação Nacional de Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Conafer). No estado, o programa está em fase de implementação e a duração tem previsão de três anos.

 

“O Idam dá início ao programa com a seleção dos beneficiários, na capacitação técnica deles, não apenas na inseminação, mas também no manejo do rebanho, na alimentação, e depois vai acompanhar para ver o percentual de prenhez junto com a veterinária da Conafer”, explicou o chefe de Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater) do Idam, Orleidson Maia Sales.

 

Inseminação

 

O produtor agropecuário familiar beneficiado neste início do + Pecuária Brasil é Allan Kardec, que vê no programa a oportunidade de expandir a produção leiteira, obter mais qualidade nos produtos beneficiados, como queijo, e aumentar a lucratividade da fazenda, situada na comunidade Novo Céu, na zona rural de Autazes.

 

“A partir do melhoramento genético dos animais vamos ter mais produção de leite, no momento temos a produção meio baixa. Já teve a primeira etapa, que foram feitas em 11 animais e 9 confirmaram prenhes confirmadas. Daqui a 15 dias, vamos saber o resultado dessa segunda etapa”, contou otimista o pecuarista.

 

A médica veterinária da Conafer, Lívia Tavares, participa da execução do programa, com aplicação de hormônios e a inseminação dos bovinos, além de fazer o acompanhamento com ultrassom para o diagnóstico de prenhez. Ela explica que trabalha para melhorar geneticamente os animais, levando em conta se é para produção de leite ou corte.

 

 

“Aqui no município de Autazes é a segunda vez que estamos vindo. A gente separa os animais fazendo ultrassom, tira os animais vazios, entra com os hormônios para inseminar fazendo o melhoramento genético. Hoje é o dia dez, dia da inseminação. Aqui no seu Allan Kardec é mais leiteiro, então a gente prioriza animais nessa função”, disse.

 

Alimentação e manejo

 

Além do protocolo de hormônio, inseminação do rebanho bovino e acompanhamento da prenhez, o programa + Pecuária Brasil prioriza a melhoria na saúde, alimentação e manejo dos animais, como explica o coordenador da Pecuária Local, o zootecnista Jan de Abreu.

 

“Não adianta vir com a inseminação para tentar melhorar a genética se não há oferta de alimentação disponível. Em cima disso, o Idam está sempre em contato direto com os pecuaristas, que é para proporcionar uma melhor alimentação no período de chuva, quando o rebanho está na terra firme e podemos fazer o manejo com mais facilidade”, explicou.

 

O técnico reforça que o manejo dos bovinos é parte importante para garantir que a fase de reprodução do animal seja eficiente. E aliando isso a uma boa alimentação e ao melhoramento genético, por meio da inseminação, é mais ganho para o pecuarista.

Leia também: Programa de Assistência Familiar da ADS beneficia mais de 600 famílias carentes