Desmatamento Amazonas queda 2023

O Amazonas fechou o primeiro semestre de 2023 com redução de 55% na quantidade de alertas de desmatamento, segundo dados do sistema DETER, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). De janeiro a junho deste ano, foram 553,41 quilômetros quadrados (km²) de alertas, contra 1.235,98 km² registrados no mesmo período de 2022.

Do total de alertas, 39,12 km² (7,14%) ocorreram em áreas de gestão direta do Estado – 32% a menos, em comparação com o mesmo período do ano passado. Para o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, o resultado é fruto de um trabalho integrado entre as instituições.

“Esse balanço positivo é fruto de um trabalho conjunto das esferas federal, estadual e municipal, tanto para coibir a ilegalidade como para apoiar o desenvolvimento econômico e sustentável no Amazonas”, ressaltou.

No recorte das áreas estaduais, as Unidades de Conservação sob gestão da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) somaram 4,13 km² em alertas, enquanto as glebas estaduais foram responsáveis por 34,99 km². O restante das notificações ocorreu em vazios cartográficos.

Considerando apenas junho de 2023, o Amazonas fechou o mês com 129,29 km² de alertas, uma redução de 68% em relação ao respectivo mês do ano anterior, que registrou 400,63 km² de alertas.

Diante dos dados, na análise atual, o Amazonas ocupa a terceira posição no ranking de alertas de desmatamento, entre os estados da Amazônia Legal.

Combate às queimadas                                                                       Desmatamento Amazonas queda 2023

O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) anunciou, na quinta-feira (06/07), o envio de tropa da corporação para a primeira fase da Operação Aceiro 2023, que tem o objetivo de combater os focos de incêndios florestais no sul do estado.

Ao todo, serão 74 bombeiros militares e 10 viaturas, divididos em equipes de combatentes, com destino aos municípios de Humaitá, Apuí, Boca do Acre, Lábrea e Manicoré, que pertencem a uma área conhecida como “arco do fogo”.

A maior parte das áreas de detecção desses focos de calor no Amazonas são terras de responsabilidade do Governo Federal. Desta forma, o Governo do Amazonas deve receber o apoio de bombeiros da Força Nacional, para integrar o combate nesses locais.

A Aceiro 2023 faz parte da Operação Tamoiotatá 3, que atua, desde março deste ano, contra crimes ambientais, com ênfase no sul do Amazonas. O plano de ação também é composto por agentes da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp); brigadistas civis; Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema); Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama).