A Suframa finalizou nesta sexta-feira (25) sua participação na Smart City Expo Curitiba, edição brasleira da maior rede mundial de eventos relacionados à temática de Cidades Inteligentes. A exposição, que iniciou na quinta-feira (24) e ocorreu no Parque Barigui, em Curitiba (PR), chegou à sua terceira edição em solo nacional neste ano e reuniu os maiores especialistas e empresas do segmento em discussões sobre as principais inovações em curso para o planejamento urbano e a transformação digital e sustentável dos municípios brasileiros.

Entre os assuntos abordados em dois dias de intensas discussões e atividades técnicas, destaque, principalmente, para as temáticas “Tecnologias inteligentes para cidades”; “Inovação e negócios disruptivos”; “Governança em uma sociedade inteligente”; “Mobilidade inteligente para o futuro”; e “Cidades sustentáveis”. As expectativas para esta terceira edição nacional do evento incluíram mais de 10 mil visitantes, 40 países representados e aproximadamente 60 palestrantes e 50 expositores.

A participação da Autarquia no evento se deve, principalmente, ao seu envolvimento no projeto de implementação de cidades inteligentes nos municípios amazonenses de Manacapuru, Atalaia do Norte e Silves. Vale lembrar que, com essa finalidade, a Suframa assinou acordo de cooperação técnica junto às prefeituras de Manacapuru e Silves em fevereiro deste ano, durante a reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS) que celebrou os 55 anos da Zona Franca de Manaus.

Além do superintendente Algacir Polsin e do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Manoel Amaral, a comitiva da Suframa que participou do evento foi composta pelo coordenador geral de Desenvolvimento Regional, Vitor Lopes, pelo prefeito de Silves, Paulinho Grana, pela vice-prefeita de Manacapuru, Valcileia Maciel, e pelo secretário de Planejamento de Manacapuru, Paulo Onety.

Cidade inteligente

Por definição, uma “Cidade Inteligente” é comprometida com o desenvolvimento urbano e a transformação digital sustentável, em seus aspectos econômico, ambiental e sociocultural, cuja atuação ocorra de forma planejada, inovadora, inclusiva e em rede. Além disso, uma “Smart City”, termo globalmente utilizado, promove o letramento digital, a governança e a gestão colaborativas e utiliza tecnologias para solucionar problemas concretos, criar oportunidades, oferecer serviços com eficiência, reduzir desigualdades, aumentar a resiliência e melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas, garantindo o uso seguro e responsável de dados e das tecnologias da informação e comunicação.

O projeto da Suframa tem o objetivo de apoiar municípios da região na melhoria das suas capacidades governativas para aproximá-los dos parâmetros e diretrizes da Carta Brasileira para Cidades Inteligentes (http://www.andusbrasil.org.br/acervo/publicacoes/55-carta-brasileira-cidades-inteligentes).