Em maio, a indústria do Amazonas avançou 6,6% na produção, em relação ao mês anterior (-0,1%); maior alta entre os 15 locais pesquisados. A alta elimina a perda de 0,1% observada em abril.  A indústria de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos e o setor de bebidas, tiveram destaque e influenciaram o crescimento da produção industrial amazonense. Essa pesquisa foi divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira (8), resultados regionais da Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional).

Comparado com o mesmo mês do ano passado, houve alta de 9,1% na produção do Estado. No percentual acumulado do ano, a variação é de 2,1%, mas, no acumulado dos últimos 12 meses, houve queda de 1,8%. Em março, este indicador apresentava 6,5% de alta.

Nacionalmente foi um avanço de 0,3%, em maio, e 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apresentaram taxas positivas.

A alta no Amazonas, foi a melhor do ranking. Entre os piores desempenhos estão o Pará (-13,2%), Rio de Janeiro (-4,1%) e Pernambuco (-2,4%); e os melhores, os de Amazonas (6,6%), Mato Grosso (4,6%) e Paraná (3,5%).

O Estado está na 4ª posição entre os locais pesquisados, acumulado do ano (janeiro a maio), o avanço de 2,1% na produção coloca a industrial do Amazonas nesse patamar. Os piores desempenhos foram os do Pará (-11,9%), Santa Catarina (-6,6%) e Ceará (-6,2%); e os melhores foram os do Mato Grosso (23,3%), Bahia (8,9%) e Rio de Janeiro (5,2%).

Desempenho por atividades

Em maio de 2022, o resultado positivo na produção foram as seguintes: fabricação de produtos de borracha (36,9%); fabricação de bebidas (30,1%); indústria da transformação (9,7%); fabricação de equipamentos de informática e eletrônicos (8,8%) (celular, computador e maquinas digitais); e outros equipamentos de transportes (8,7%) (motocicletas e suas peças).