O Produto Interno Bruto (PIB) do Amazonas, referente ao ano de 2021 registrou cifras de R$ 126,31 bilhões e crescimento nominal de 16,93% em relação ao ano 2020. No quarto trimestre, o valor foi de R$ 32,85 bilhões, o que representa um crescimento nominal de 12,92% em relação ao quarto trimestre de 2020, e crescimento real de 2,60%. Em relação ao terceiro trimestre de 2021, o crescimento nominal foi de 1,92% e -1,01% para o real. As informações são da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti).

O Setor da Indústria totalizou um montante de R$ 38 bilhões e um crescimento de 18,49% no comparativo com o ano de 2020. A Pesquisa Industrial Mensal (PIM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que o volume da indústria amazonense cresceu 7,38% no comparativo entre os anos de 2021 e 2020.

No quarto trimestre de 2021, a Indústria totalizou o volume de R$ 9,88 bilhões. A PIM do IBGE apontou que, em relação ao quarto trimestre de 2020, a Indústria Geral apresentou recuo no volume de produção de -8,11%, e em relação ao quarto trimestre de 2020, crescimento de 2,64% em relação ao terceiro trimestre de 2021.

Serviços

Outro Setor que registrou aumento foi o de Serviço, ao totalizar o montante de R$ 61,95 bilhões no acumulado do ano de 2021, e de R$ 16,11 bilhões no quarto trimestre. Com a diminuição das restrições das casas noturnas, eventos e shows, em função da pandemia da Covid-19, o subsetor das artes, cultura, esporte e recreação, apresentou o maior crescimento na comparação entre os anos de 2020/2021 com 22,81%, dentre os subsetores do Serviço.

Na avaliação do titular da Sedecti, Jório Veiga, o resultado do PIB do Amazonas em 2021 deve ser comemorado.

“Um crescimento real de 2,60% é para se comemorar. Além disso, ficamos esperançosos com os resultados do ano corrente. Sem dúvida, 2021 foi um ano muito bom para o Amazonas, mesmo sendo impactado pela falta de insumos que limitou a produção e a oferta dos bens produzidos localmente. Também tivemos o impacto da pandemia da Covid-19 que afetou muito o Amazonas no início do ano, e a volta da inflação que reduziu as expectativas, principalmente, no Comércio”, pontuou o secretário.

Comércio

Segundo a Pesquisa Mensal do Serviço (PMS), também feita pelo IBGE, o Comércio é uma das principais atividades dos Serviços, que teve crescimento de 2,53% do volume de vendas (quarto trimestre de 2020/2021) e de 1,53% (terceiro trimestre 2021/quarto trimestre 2021), enquanto as receitas nominais aumentaram 3,06% (terceiro trimestre 2021/quarto trimestre 2021) e retraíram em -7,70% (quarto trimestre 2020/quarto trimestre 2021). No acumulado do ano, na relação com 2020 o volume de vendas diminuiu -0,38% e as receitas nominais cresceram 11,88%.

Os valores da Agropecuária alcançaram o montante de R$ 6 bilhões em 2021, e de R$ 1,58 bilhões no quarto trimestre do mesmo ano. O setor cresceu 11,64% em relação ao ano de 2020, sendo a Pecuária o subsetor com maior crescimento, com variação de 14,83% na comparação com o ano anterior.

O estudo do PIB do Amazonas faz parte dos trabalhos elaborados pelo Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo) da Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan) da Sedecti. Para acompanhar este e outros estudos, basta acessar o site: www.sedecti.am.gov.br e clicar na aba “Indicadores e Mapas”.