Nesse segundo trimestre de 2022, as pequenas indústrias apresentaram um bom desempenho e melhora da situação financeira. A informação está no Panorama da Pequena Indústria, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A instituição mostra que o Índice de Desempenho registrou o melhor desempenho médio para o segundo trimestre em 11 anos.

O desempenho médio do trimestre em 2022 foi de 47,4 pontos, resultado que também se encontra acima do primeiro trimestre de 2022 (45,5 pontos) e acima da média do segundo trimestre de 2021 (46,5 pontos).


“A preocupação com a falta ou o alto custo das matérias-primas continua em alta para a pequena indústria. No segundo trimestre de 2022, foi o principal problema apontado pelas MPEs dos setores extrativo, de transformação e de construção. No entanto, o desempenho médio e a situação financeira das pequenas indústrias estão melhores”, explica a analista de Políticas e Indústria da CNI, Paula Verlangeiro.

O levantamento também mostra que os empresários seguem otimistas e as perspectivas para a pequena indústria seguem em patamar positivo.

Falta e alto custo de matéria-prima é desafio para MPEs

Apesar disso, a falta ou o alto custo de matéria-prima ainda é um desafio para as micros e pequenas indústrias brasileiras. Segundo o levantamento, no segundo trimestre deste ano, o problema foi mais assinalado pelos empresários da indústria da construção (+5,4 pontos) e menos assinalado pelas empresas da indústria de transformação (-6,9) e da indústria extrativa (-6,8). O problema segue em primeiro lugar no ranking para todos os segmentos industriais, sendo um obstáculo para as pequenas indústrias há mais de um ano e meio.

Fonte: Agência de Notícias da Indústria