O diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente, acompanhado de comitiva técnica do órgão, recebeu, na manhã desta quarta-feira (27/04), equipes do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para reunião de apresentação do projeto Floresta+ Amazônia.

O encontro ocorreu no Centro de Monitoramento Ambiental e Áreas Protegidas (CMAAP) do Ipaam e objetivou também sanar as principais dúvidas acerca da implementação e desenvolvimento do programa no Amazonas, com apoio do Governo do Estado, Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e Ipaam.

O projeto Floresta+ Amazônia é uma iniciativa do MMA e PNUD, com recursos do Fundo Verde para o Clima (GCF), desenvolvida nos nove estados da Amazônia Legal. O programa visa fomentar a conservação da vegetação nativa e a recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APP) em imóveis rurais com até quatro módulos fiscais, por meio de incentivos financeiros para pequenos produtores nas modalidades de implementação como: Floresta+ Recuperação e Floresta+ Conservação.

Outras modalidades, como Floresta+ Comunidades e Floresta+ Inovação, são voltadas a propostas de projetos locais para gestão ambiental e territorial nos territórios de povos indígenas e comunidades tradicionais (PIPCT), além do incentivo para consolidação do mercado de serviços ambientais com novos mecanismos.

Segundo Pedro Bernadino, analista técnico do PNUD que esteve presente no encontro, a ideia do projeto se expande ainda para incentivar e aprimorar a implementação da política pública do novo Código Florestal, bem como a regularização ambiental.

Floresta+ Amazônia e Ipaam — Para execução do projeto, um dos requisitos exigidos no processo seletivo, mediante as modalidades Conservação e Recuperação, é o Cadastro Ambiental Rural (CAR), analisado e validado, do possível beneficiário. No Amazonas, a atribuição para análise de modo geral do CAR está sob a direção do Ipaam, por meio da Gerência de Controle Agropecuário (GCAP).

Tendo em vista a necessidade de celeridade para as análises do CAR e apoio local para o interessado, o Instituto atuará viabilizando suporte à equipe responsável pela averiguação dos requisitos e coordenação das tratativas no estado, disponibilizando também espaço físico e equipamentos para os integrantes.

Juliano Valente avaliou a execução do projeto como uma estratégia favorável para consolidar as ações de preservação ambiental das áreas de conversação nativas e recuperação das APPs, além de agradecer pelo empenho e colaboração das equipes.

“É uma oportunidade, de fato, para fundir as ações de conservação, mostrando que há um investimento e há interesse, principalmente em priorizar a recuperação e preservação dessas áreas. Quero agradecer muito a presença de vocês e pelo estabelecimento dessa relação positiva. Isso tudo, para o Sistema de Meio Ambiente, tende a agregar da melhor forma possível”, enfatizou o diretor-presidente.

Na reunião estiveram presentes ainda o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, e representante do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no Amazonas.

Inscrições abertas – Até 30 de junho, potenciais produtores rurais da Amazônia Legal podem se inscrever para a modalidade Floresta+ Conservação, que prevê o pagamento de, no mínimo, R$ 400 por hectare de excedente de vegetação nativa por ano, desde que sejam cumpridas as exigências instituídas pelo projeto.

Na categoria Floresta+ Comunidades, até o dia 26 de maio, povos indígenas e povos e comunidades tradicionais amazônicas podem apresentar ideias de projetos para fortalecer a gestão ambiental de territórios coletivos.

Para ter acesso aos formulários de inscrições, editais, requisitos e demais informações, basta acessar o site https://www.florestamaisamazonia.org.br/.

Agendamento – No CMAAP, localizado na avenida Mário Ypiranga Monteiro, 3.280, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus, ao lado do Ipaam, a equipe de apoio local do projeto Floresta+ Amazônia também atende por meio de agendamento para sanar dúvidas e instruir os interessados. Os contatos para agendamento são os seguintes: