O Governo do Amazonas investiu fortemente em ciência, tecnologia e inovação (CT&I) nos últimos quatro anos, apontou a diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Márcia Perales Mendes Silva, nesta terça-feira (21/06), durante apresentação sobre a Política de Fomento à Pesquisa feita no “Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas”.

O Fórum, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), foi realizado no salão Rio Solimões do Palácio Rio Negro, no Centro de Manaus.

Ao apresentar a série histórica da Fapeam de 2019 a 2022, observa-se que a instituição investiu aproximadamente R$ 350 milhões em CT&I, com recursos oriundos do tesouro estadual, possibilitando realizar o lançamento de 73 programas e apoiar mais de dez mil projetos, inclusive o Edital Amazônia+10 ainda a ser lançado, além de uma série de ações que serão implementadas até o fim de 2022, como destacou Márcia Perales, ao discutir no Fórum sobre “Bioeconomia e Inovação – Avanços e desafios”.

“Todos nós queremos ter o orçamento disponibilizado, o financeiro efetivado e a execução plena, que são pontos de negociações para investimentos futuros”, destacou a diretora-presidente, ao ressaltar que, após 18 anos de criação da Fapeam, em 2021, foi possível, pela primeira vez, realizar a execução orçamentária plena, com o maior orçamento da trajetória da instituição.

De acordo com Márcia Perales, só em 2022, foram mais de R$ 36 milhões investidos em bolsas em nível de mestrado, doutorado e auxílio-pesquisa, por meio do Programa Institucional de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad). De 2018 a 2021, o número de bolsas concedidas passou de 659 para 1 mil e o valor do auxílio-pesquisa, no mesmo período, saltou de R$ 2.766.436,80 para R$ 4.598.054,40, elevando o Estado do Amazonas para a primeira posição no ranking entre as Fundações de Amparo à Pesquisa do Brasil e agências de fomento, no ano de 2019.

Ciência na Escola

Márcia Perales fez questão de ressaltar o Programa Ciência na Escola (PCE), defendendo que a política pública de CT&I do Estado do Amazonas está ligada à educação básica por meio do PCE. Ela destaca, ainda, que desde a educação básica até o pós-doutoramento já se conseguiu vislumbrar uma série de possibilidades. “A ciência abre portas, amplia perspectivas e transforma vidas e, esses alunos que têm acesso ao Programa Ciência na Escola, passam a ter outras perspectivas de vida”, frisou Perales.

Para o PCE, a Fapeam implementou o orçamento aproximado a R$ 20 milhões entre 2018 e 2022.

Painter

A diretora-presidente também destacou o Programa de Apoio à Interiorização em Pesquisa e Inovação Tecnológica no Amazonas (Painter), que alcança 13 municípios do Amazonas em suas áreas estratégicas com 64 projetos contratados.

Além do Painter e PCE, Márcia Perales registrou que a Fapeam apoia o programa de afirmação e inclusão denominado “Mulheres e Meninas na Ciência”, que objetiva estimular a igualdade de gênero, assim como incentivar uma maior participação feminina na Ciência, Tecnologia e Inovação.

Além de Manaus, em 2022, a Fapeam chegou em 56 municípios.

Entre outras ações da Fapeam, Márcia Perales destacou ainda sobre os editais abertos disponibilizados no portal da Fapeam (www. http://www.fapeam.am.gov.br), e adiantou que o Programa Amazônia+10 já conta com a adesão de 20 estados brasileiros que irão investir no programa.