A indústria brasileira está mais digital do que há cinco anos. Se em 2016 menos da metade (48%) faziam uso de alguma das tecnologias digitais analisadas, em 2021 o percentual foi de 69%, como mostra a Sondagem Especial Indústria 4.0, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Realizada com mais de 1 mil empresas, a pesquisa buscou investigar o avanço do uso das tecnologias da chamada indústria 4.0, que prevê a digitalização da produção industrial para integrar as diferentes etapas da cadeia de valor, desde o desenvolvimento do produto até o uso final.

A Sondagem Especial Indústria 4.0 identificou a adoção de 18 tipos de tecnologias digitais pelas empresas e seu uso em diferentes estágios da cadeia industrial (em 2016 eram 10 tecnologias listadas). Entre os principais benefícios reconhecidos na adoção das tecnologias digitais está o aumento de produtividade, a melhora da qualidade dos produtos e a diminuição dos custos de produção.

Falta de conhecimento ainda é barreira para adoção de tecnologias digitais

Apesar do alto nível de adoção de pelo menos uma tecnologia digital, a maioria das empresas usa uma baixa variedade, indicando que se encontram em uma fase inicial do processo de digitalização. Ao todo, 31% ainda não adotaram qualquer tecnologia digital, 26% utilizam de uma a três das 18 listadas, e apenas 7% adotaram 10 ou mais delas.

Para Samantha Cunha, gerente de Política Industrial da CNI, a falta de conhecimento das tecnologias pelas empresas ainda é um desafio que precisa ser solucionado e o baixo nível de variedades de tecnologias digitais reforça a necessidade de não apenas continuar avançando a adoção, mas também aumentar a integração das tecnologias para que os benefícios permitidos pela indústria 4.0 sejam ainda mais significativos.


“A adoção das tecnologias digitais avançou nos últimos cinco anos. As empresas estão buscando novos métodos produtivos. Porém, para alcançar os maiores benefícios que a indústria 4.0 permite alcançar, é necessário aumentar a variedade de tecnologias digitais adotadas, pois são tecnologias complementares. A integração no uso é importante para aumentar a produtividade das empresas.”


Custo de implementação é considerado principal entrave

Entre os entraves apontados pela indústria para investir em tecnologias digitais está o alto custo de implementação, apontado como principal barreira interna à adoção por 66% das empresas. Em seguida, vêm empatados a falta de conhecimento, a clareza sobre os retornos das tecnologias adotadas e a estrutura e cultura da empresa, apontados por 25% das empresas.

Apesar de as empresas industriais apontarem o alto custo de implantação como a maior barreira interna, a ausência de linhas de financiamento apropriadas aparece apenas em quarto lugar entre as barreiras externas. Cerca de 2 a cada 10 empresas (20%) apontaram esse entrave entre as três principais barreiras externas que dificultam a adoção de tecnologias digitais.