O projeto “O Primeiro Emprego a gente nunca esquece”, desenvolvido por meio da parceria entre o Instituto Euvaldo Lodi  (IEL) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed), teve seu lançamento oficial na Escola Municipal Pintor Leonardo da Vinci, na tarde da última sexta-feira (8). A reunião ocorreu localizada no bairro Nova Esperança, e contou com a presença de alunos, pais e docentes.

De acordo com Almir Feitosa, coordenador de Projetos do IEL, o objetivo da ação é realizar oficinas e workshop gratuitos, para que os jovens do 8º e 9º ano do ensino fundamental, com idade entre 14 e 18 anos, possam ingressar no ensino médio com uma orientação vocacional, noções empregabilidade e empreendedorismo, além de informações voltadas para a área comportamental que visa orientá-los em como agir no ambiente de trabalho.

Os encontros serão realizados durante quatro semanas, aos sábados, das 8h às 12h. Segundo Elisângela Brandão, gestora da Escola Municipal Pintor Leonardo da Vince, o projeto irá beneficiar em torno de 100 famílias que, em sua maioria, não teriam condições de investir em cursos pagos.

O chefe da Divisão Distrital Zonal – Oeste, Dalmir Salazar, responsável pela administração das escolas municipais da região, também aproveitou a oportunidade para demonstrar sua satisfação em receber o projeto. “Sabemos a dificuldade do jovem para se inserir no mercado de trabalho, e ter esse apoio do IEL é um presente não só para a nossa escola como também para a sociedade que carece de mão de obra qualificada”, destacou.

A parceria foi realizada por meio do Núcleo de Parcerias Institucionais (Nupi), da Semed. O projeto começou no dia 11 de maio deste ano na Escola Municipal Antônia Pereira, localizada no bairro Santa Etelvina, zona Norte, e beneficiará 300 alunos, contando com os alunos da Escola Municipal Leonardo da Vinci.

A mãe de um dos alunos que participarão da ação, Lia Gomes, de 38 anos, manifestou sua gratidão em nome dos responsáveis presentes. “Nós pais nos preocupamos com o futuro dos nossos filhos e muitas vezes não sabemos como encaminhá-los, e esse projeto que a escola está realizando juntamente com o IEL é uma oportunidade que não pode ser desperdiçada”.