O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea) e Agropecuária Aruanã, por meio do Instituto Excelsa, realizou, na segunda quinzena de março, a última entrega de 8,5 mil mudas de castanha-do-Brasil para os municípios de Novo Airão, Barreirinha, Tonantins e Alvarães. Ao todo, foram entregues, no período de 2021 e início de 2022, um total de 70 mil mudas para municípios do Amazonas.

As mudas foram repassadas às unidades locais do Idam dos municípios de Manicoré, Itapiranga, Beruri, Tefé, Tonantins, Uarini, Amaturá, Alvarães, Barreirinha, Careiro da Várzea e Novo Airão, beneficiando, neste primeiro momento, mais de 2 mil agricultores familiares.

A meta agora é entregar mais 50 mil mudas de castanha-do-Brasil no final deste ano e início de 2023, período propício para o plantio. Esse quantitativo de mudas irá beneficiar aproximadamente mil agricultores familiares.

Para o engenheiro agrônomo, Malvino Salvador, a ação visa recuperar áreas degradadas e fortalecer a agricultura familiar. “O projeto tem como foco contribuir para a recuperação de áreas degradadas e possibilitar maior aproveitamento das áreas alteradas, resultando inclusive em mais uma fonte de renda, através da produção das castanheiras plantadas”, disse Malvino, ao destacar que a ação é essencial para a economia das comunidades.

Além da distribuição das mudas o projeto tem outras atividades de grande importância, como ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) focadas nos principais elos da cadeia produtiva da castanha-do-Brasil, as quais iniciam com a capacitação dos agricultores em as boas práticas de manejo, coleta, armazenamento, escoamento, assim como o apoio a agroindústrias e ações de apoio a políticas públicas para inclusão produtiva das comunidades envolvidas.

Projeto prioritário da castanha – De acordo com a engenheira florestal e coordenadora do Projeto Prioritário da castanha-do-Brasil, Nadiele Pacheco, o Idam junto com as prefeituras vem realizando a entrega de mudas nas comunidades.

“O objetivo é fortalecer a cadeia de valor da castanha com foco no aumento da produção e da produtividade. Além disso, dentro do projeto prioritário estamos focando nos municípios que possuem agroindústria de beneficiamento da castanha e em alguns municípios estratégicos que fornecem matéria-prima para agroindústrias”, finalizou.