O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) celebra, nesta quarta-feira, dia 25 de maio, o Dia do Trabalhador Rural, data em que se valoriza e comemora o trabalho realizado pelos homens e mulheres que atuam na produção de produtos da agropecuária. Com unidades locais em todos os municípios do Amazonas, o Idam atua ao lado do produtor com serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Para o diretor-presidente do Idam, Tomás Sanches, os trabalhadores e o setor primário contribuem consideravelmente com a economia do Estado, por meio da geração de emprego e renda nos municípios, além de garantir o abastecimento à mesa da população.

“Falar de produtor rural é falar de uma categoria da sociedade que tem uma importância significativa para o nosso estado, não só no ponto de vista econômico, mas também no social e no cultural. Não é para menos que em todas as ações do Governo do Estado o Idam sempre se faz presente com grandes ações, sejam através de entregas de documentações, seja também através dos projetos de captação de recursos para financiamento, junto à Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), ou acesso aos editais de chamadas públicas”, disse Sanches.

O Instituto trabalha prezando pelo desenvolvimento sustentável do meio rural, atendendo principalmente os produtores familiares do estado. São 1.657 comunidades tradicionais, 131 comunidades indígenas, 262 associações e 29 cooperativas atendidas pelo Idam.

As ações do Idam incluem assistência técnica, emissão de Cartão do Produtor Primário (CPP) e Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), Cadastro Ambiental Rural (CAR) e elaboração de projetos para Crédito Rural.

Uma das beneficiadas é a agricultora familiar Raimunda Celice, moradora da comunidade PDS Cachoeira, no município de Iranduba (distante 27 quilômetros de Manaus). Para ela, o apoio do Idam foi uma forma de assegurar a melhora de sua qualidade de vida.

“O apoio do Idam com assistência técnica e emissão de documentos tem sido muito importante para garantir o meu acesso às políticas públicas do Governo, como o Programa Alimenta Brasil (PAB). Isso permitiu a mim e à minha família melhorarmos nossa qualidade de vida como agricultores familiares”, concluiu.