A direção da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) reuniu, nesta quinta-feira (17/02), com representantes da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA), da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), para aproximar as instituições e prospectar futuras parcerias, com foco no desenvolvimento sustentável e na construção de redes colaborativas de pesquisadores entre os dois estados.

Durante o encontro, pautado em assuntos relacionados à ciência, tecnologia e inovação, a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales Mendes Silva, destacou que uma das prioridades do Governo do Amazonas tem sido os investimentos na formação de recursos humanos altamente qualificados, em níveis de mestrado e doutorado, e que as áreas sugeridas pela comitiva, de biotecnologia e inovação, também estão entre as áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do estado.

A Fapeam prima pelo trabalho em parceria e, a partir deste momento, vamos trabalhar para fortalecer temas específicos comuns entre as fundações, para nos ajudar de forma recíproca em relação ao nosso ecossistema de CT&I”, disse.

Entender como operacionalizar as ações de cooperação em biotecnologia e inovação, entre os dois estados, é uma oportunidade de contribuir para o desenvolvimento sustentável do Amazonas, avalia Luiz Márcio Spinosa, diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária.

“O estado do Amazonas está entre as melhores opções de posicionamento mundial em termos de ciência e tecnologia, porque oferece para o Brasil e o mundo acervo de várias frentes, principalmente nas áreas de bioeconomia e biotecnologia. É nesse sentido que podemos unir esforços em redes colaborativas de pesquisadores, para tratar de projetos voltados às questões bioeconômicas e biotecnológicas”, disse.

Desafios – O gerente de Produtividade e Inovação da Fiep, Felipe Couto, observou que alguns pontos abordados durante a reunião demonstram que os desafios de CT&I entre Amazonas e Paraná são comuns, por isso vê com bons olhos os possíveis frutos a serem gerados, a partir da formação de parcerias entre as instituições do Paraná e Amazonas.

“A Federação das Indústrias tem a necessidade de uma agenda global de desenvolvimento sustentável, negócios verdes com a região Amazônia, que é exemplo de fonte de riquezas e inspiração para o surgimento desses novos negócios, baseados em biotecnologia, preservação do meio ambiente, potencializando as riquezas para o Brasil e o mundo”, enfatizou.

A gerente de Negócios Institucionais da Fieam, Elaine dos Santos Garcia e Silva, ressaltou a importância das relações institucionais para fortalecer a cadeia que inicia com a pesquisa e termina com o trabalho empreendedor.

Encaminhamentos – Com a sinalização da receptividade a futuras parcerias institucionais, as equipes técnicas das agências de fomento e das federações das indústrias devem identificar demandas de interesse para formalizar ações de cooperação.