O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), apoia a 1ª Prova de Três Tambores, realizada pelo Haras Duvale, que teve início no sábado (23/04) e segue até hoje (24/04), no haras, bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. A abertura do evento contou com a presença do secretário da pasta, Petrucio Magalhães Júnior; e do  diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), Alexandre Araújo.

O evento, que atende os protocolos de segurança exigidos pelos órgãos competentes como a Adaf e o Conselho dos Animais, reuniu mais de 80 inscritos para competir em sete categorias: Test Horse, Amador Principiante, Infantil, Jovem, Feminina, Amador e Aberta. Cavaleiros e amazonas de todos as zonas de Manaus se encontraram para as competições, que têm como desafio dar a volta nos três tambores em menor tempo. Segundo a organização, o esporte tem presença predominantemente feminina, cerca de 70% do público nas competições.

A prova envolve velocidade e coordenação motora por parte do competidor, que precisa, junto com o animal, ultrapassar os três tambores em um tempo de 17 a 20 segundos, medido por um juiz da prova, em um dado percurso. Para se tornar campeão, os competidores precisam obter os tempos mais rápidos nos dois dias do evento. Os resultados são somados ao final da competição para determinar os peões vencedores.

Sanidade animal – Para que o bem-estar animal seja preservado, o presidente da Adaf, Alexandre Araújo, destacou que é preciso dar entrada no Guia de Transporte Animal (GTA), no órgão, apresentando dois tipos de exames negativos para mormo e Anemia Infecciosa Equina (AIE), para poder adentrar às competições.

“Cabe à Adaf, que é o órgão de defesa animal e vegetal, verificar antes dos eventos as instalações, exames dos animais e, principalmente, as condições de saúde deles para que estejam em condições de competir, sem causar nenhum dano à saúde dos mesmos. Nossas equipes estão aqui presentes, temos médicos veterinários, técnicos em agropecuária para poder verificar a documentação sanitária desses animais e só poder adentrar o local de competição os animais que comprovem que estão com essa documentação e exames em dia, assim como acompanhar também se esses animais estão sendo bem cuidados, garantindo a saúde e a preservação do patrimônio dos criadores que vieram participar, pois animais sadios não contaminam outros animais, então esse é o intuito”, destacou o diretor-presidente.

O proprietário do Haras Duvale e coordenador do evento, Elielson Duvale, além de idealizador da modalidade, é o maior incentivador do esporte do estado. Ele destaca a importância do apoio do Governo do Amazonas e descreve como é feita a competição.

“Eu quero agradecer ao Governo do Estado, à Sepror, à Adaf, que nos concedeu essa estrutura maravilhosa, pois não tínhamos condições de arcar com isso tudo, mostrando a parceria do privado com o governo que está dando supercerto, gerando um negócio bom para todo mundo. A prova dos três tambores é uma competição com crianças, adolescentes e adultos, e temos categorias apenas infantil, outras apenas para iniciantes, outras somente para profissionais. Há ainda a categoria onde correm mulheres e homens juntos, e uma categoria onde correm apenas mulheres”, disse o proprietário.

O titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, afirmou que a retomada desse esporte com o apoio do governo vem celebrar a história e a tradição dessa categoria, pois é muito relevante para o município, já que aquece o comércio, sendo oportunidade na geração de emprego e promovendo o progresso econômico.

“É muito bom poder ver a participação das famílias em eventos como este, e nós não poderíamos deixar de apoiar a volta dos esportes equestres aqui no estado, principalmente pós-pandemia. É uma determinação do Governo do Estado apoiar eventos que possam aquecer a economia local, como é o caso deste, pois movimenta a compra de ração e demais insumos, para a realização da atividade esportiva. Estamos muito felizes em poder dar esse suporte ao esporte equestre, ajudando na fiscalização sanitária, que é de suma importância para esses animais estarem aptos para competir”, disse o secretário.

Participação – Isadora Duvale, que competiu na categoria amador com o cavalo Pirata Lio, já participa de campeonatos desde 2020 e espera ter rendimentos com seus animais e que sua participação possa inspirar outras mulheres a ingressarem na prova.

“Participo desde 2020 nos Três Tambores, mas há muito tempo eu já percorro esse mundo do hipismo, montagem, e desde que ingressei no esporte, tenho me dedicado bastante. Quero aproveitar também para convidar outras pessoas, outras meninas a participarem do esporte, com certeza vão gostar muito”, afirmou a competidora.

Premiação – Os competidores que se classificarem vão disputar uma premiação que totaliza R$ 15 mil que foram arrecadados com as inscrições e o apoio de patrocinadores privados. Para isso, a habilidade e a disposição do animal tem que estar em total sintonia com seu cavaleiro ou amazona.