Em janeiro de 2022, a Balança Comercial do Estado do Amazonas, elaborada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), registrou o valor de US$ 1,2 bilhão referente a Corrente de Comércio (soma das importações com as exportações), dado que corresponde ao crescimento de 21% comparado a janeiro de 2021.

Na variação mensal com dezembro de 2021, o crescimento foi de 6,15%. O saldo da corrente de comércio do Amazonas em janeiro de 2022 foi de US$ -1,099 bilhão.  Em relação à Balança Comercial do Brasil, os números do Amazonas apresentaram resultados melhores em janeiro de 2022, cuja participação teve um crescimento de 3,09%, superando a de dezembro de 2021 que foi de 2,57%.

O resultado positivo para o Amazonas, em janeiro, foi impulsionado pelo aumento nas importações, sendo verificada a diferença de US $89,5 milhões a mais em relação a dezembro de 2021.

Os mesmos resultados não se estenderam para as exportações que registraram valor abaixo do verificado, tanto em dezembro de 2021 quanto em janeiro de 2022. Houve queda de 23,59% nas exportações de janeiro de 2022, em relação a dezembro de 2021. Enquanto na comparação com janeiro de 2021, a retração ficou na ordem de 15,57%.

Relação comercial

 No ranking de maior relação comercial com o Estado do Amazonas, os países de origem das importações foram: China, Estados Unidos da América (EUA) e Vietnã. Juntos, os três países representaram a participação de 62% na Balança Comercial em janeiro de 2022, ficando com o montante de US $728 milhões.

Nas exportaçõeso Amazonas exportou para 60 países, registrando o valor de US $60,92 milhões, tendo a Argentina como o principal parceiro comercial, responsável por US $11,96 milhões e participação de 19,63%.

O principal item exportado para a Argentina foi: “máquinas para uso bancário e semelhantes”, que ficou responsável por 44,13% de participação das exportações para aquele país, e de 8,66% do total geral nas exportações do Estado. Durante todo o ano de 2021, a Venezuela se manteve como o país de destaque na pauta de exportações do Amazonas. Já no mês de janeiro de 2022, o país vizinho ficou na segunda posição, seguido da Argentina, e registrou o volume de US $9,9 milhões nas exportações.

Exportações

 Considerado isoladamente, o produto mais exportado em janeiro de 2022 pelo Amazonas foi o item: “outras preparações alimentícias”, responsável pelo total de US $15,94 milhões, o equivalente a 26% do total exportado. O produto apresentou crescimento de 0,39% em relação ao mês anterior e de 28% em relação a janeiro de 2021. Ele teve como destino 11 países, sendo a Bolívia o principal deles com participação de 41% dessa exportação.

O segundo produto de maior volume em valores na pauta de exportação do Amazonas em janeiro foi o item: “Motocicletas e outros ciclos com motor de pistão alternativo, de cilindrada entre 50 cm3 e 250 cm3”, que contabilizou as cifras de US$ 7,49 milhões, equivalente a 12% do total exportado. Esse produto foi exportado para um total de 13 países, sendo a Argentina o destino responsável por 37% das aquisições. As exportações das motocicletas caíram em 3,63% em comparação a dezembro de 2021, e 20% em comparação a janeiro de 2021.

Em terceiro lugar dos mais exportados ficou o item: “máquinas e aparelhos de escritórios” que registrou cifras de US $5,27 milhões, correspondente a 8,66% do total exportado. A Argentina foi responsável por 100% do volume dessas exportações, referente ao mês de janeiro de 2022.

Importação

 Em janeiro também, as importações do Amazonas registraram cifras de US $1,16 bilhões – expressando crescimento nas ordens de 8,36% na comparação com dezembro de 2021 e de 24,15% em relação a janeiro de 2021. A China se manteve como a principal origem das importações do Amazonas, com participação de 42%, com cifras de US $488 milhões.

Dos 718 diferentes produtos importados da China pelo Amazonas, os três principais foram: “Outras partes destinadas aos aparelhos transmissores”; “processadores e controladores”, e “embarcações para o transporte”.

O principal produto importado no Estado foi: “Outras partes destinadas aos aparelhos transmissores”, com valores totais de US $146 milhões, o equivalente a 12,61% das importações, sendo 72,79% originários da China.

Em segundo lugar nas importações veio o item: “processadores e controladores”, alcançando cifras de US $125,33 milhões, com participação de 10,80% do total, tendo a China como origem de 37% das compras desse produto para o Amazonas.

Já o item “Outros óleos de petróleo ou de minerais betuminosos” foi o terceiro produto mais importado e alcançou o montante de US$ 74,95 milhões, com participação de 6,46% no total das importações, sendo os EUA o principal país de origem desse produto, com percentual de 99,50% das importações do item.

Entre os setores de classificação internacional padrão por atividade econômica nas importações, 99,95% foram para indústria de transformação; 0,014% agropecuária; 0,039% outros produtos e 0,002% indústria extrativa.

Leste europeu

Em relação à crise que se instalou no leste europeu, não há impacto significativo para o Estado do Amazonas em razão do baixo valor (cerca de 0,2%) registrado na corrente de comércio com relação aos dois países em guerra (Rússia e Ucrânia).

Municípios do interior

 Pelo menos oito, dos 61 municípios do interior do Amazonas, foram exportadores em janeiro de 2022. Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus) foi o maior exportador, ficando responsável por US $4,96 milhões do total exportado no Estado.

A China foi o principal destino do produto: “Ferro-ligas”.  Já o segundo município que mais exportou foi Itacoatiara (distante 176 quilômetros da capital), registrando o montante de US$ 3,39 milhões na exportação do item: “Madeira serrada ou endireitada longitudinalmente” para os Países Baixos (Holanda) que foi o principal destino deste item.

Nas importações apenas cinco municípios registraram importações, sendo Presidente Figueiredo também o destaque com o total de US $336,70 mil, tendo o produto “Outras obras moldadas, de ferro fundido, ferro ou aço” como principal item importado de origem no Chile.

Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) ficou em segundo lugar, registrando o valor de US$ 71,96 mil, tendo a China como principal local de origem de suas importações referente aos itens: “Fios, varetas, tubos, chapas, eléctrodos e artefatos semelhantes de metais” como item principal.

Balança Comercial

 A Balança Comercial do Amazonas é um dos estudos produzidos pelo Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo) da Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan) da Sedecti. O estudo tem como fonte principal de informação a Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint) do Ministério da Economia (ME).

O objetivo do trabalho é acompanhar o desempenho mensal das relações comerciais do Amazonas e, dessa forma, permitir o entendimento de sua evolução nas exportações e importações no Estado.

Para acompanhar este e outros estudos, basta acessar o Painel da Balança Comercial do Amazonas no site da Sedecti: www.sedecti.am.gov.br e clicar na aba “Indicadores e Mapas”.