O estado do Amazonas é destaque nacional com o maior crescimento percentual de empresas abertas no ano de 2021, com aumento de 7,22% em relação ao ano de 2020, segundo informações do projeto Empreendedor Digital, composto por nove juntas comerciais do Brasil.

As informações do projeto apontam que, em março de 2020, a Junta do Amazonas aparecia com o percentual de 5,47% no volume de empresas registradas no estado. Já no final de 2021, a Jucea registrou o crescimento de quase 2%, colocando a autarquia como a junta comercial com o maior crescimento proporcional ao número de documentos registrados entre as nove juntas conveniadas ao projeto.

Conforme a presidente da Jucea, Maria de Jesus Lins, é com muita satisfação que o Estado recebe a notícia de resultados positivos.

“Acreditamos que a transformação digital da Jucea é um dos principais fatores na conquista de resultados tão positivos alcançados nos últimos meses. Temos trabalhado para facilitar o acesso ao nosso empreendedor, tornando os serviços oferecidos pela autarquia mais céleres e seguros nos trâmites de registro empresarial”, destacou a gestora.

Crescimento

 A Jucea registrou, no ano de 2021, a constituição de 7.896 novos empreendimentos no estado. Um crescimento de 19,2%, em comparação ao ano de 2020, quando foram arquivados um total de 6.620 novos Cadastros Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Os dados são do Sistema de Registro Mercantil (SRM) da autarquia – vinculado ao Ministério da Economia.

Tempo de abertura

Outro grande avanço da autarquia foi a redução considerável no tempo médio de abertura de uma nova empresa. Atualmente, o empreendedor leva 3 horas e 27 minutos para abrir um novo negócio no Amazonas.

Empreendedor Digital

O projeto Empreendedor Digital visa a disponibilização, a manutenção e a evolução de ferramentas tecnológicas em nuvem que permitem a formalização de empresas on-line, de forma automática e integrada com todos os órgãos tributários e de licenciamento federais, estaduais e municipais.

A iniciativa possibilita processos simplificados, menos burocracia e praticidade na hora da abertura de empresas ou alteração do ramo de atividade. Fazem parte do projeto, além da Junta Comercial do Amazonas, as juntas dos estados do Acre, Amapá, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Roraima.