A aceitação do Pix como meio de pagamento no e-commerce brasileiro mais que triplicou em 2021. De acordo com estudo da consultoria Gmattos, o instrumento de pagamento instantâneo era aceito por 16,9% das lojas analisadas em janeiro de 2021, percentual que subiu para 55,9% em dezembro. A tendência é que a alta continue neste ano, observa a consultoria.

O desempenho registrado ao longo do ano consolidou o Pix, lançado em novembro de 2020 pelo Banco Central (BC), na terceira posição do ranking das formas de pagamento utilizadas no comércio eletrônico no país. Ficou atrás de cartão de crédito (aceito em 98,3% das lojas) e boleto (aceito em 74,6%). O estudo analisou 59 lojas online, que juntas representam 85% do comércio eletrônico do país.

A pesquisa mostra que houve uma ligeira queda na aceitação do Pix de novembro para dezembro. No penúltimo mês de 2021, a aceitação havia chegado ao pico de 59,3%.