A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo revisou sua estimativa de produção de bicicletas para este ano. A nova perspectiva é fechar o ano com 750 mil unidades produzidas, volume muito próximo ao registrado em 2021 (749.320 bicicletas). A expectativa inicial anunciada era fabricar 880 mil bicicletas.

O vice-presidente do segmento de bicicletas, Cyro Gazola, afirma que o segmento registrou, em dois anos consecutivos, aumento significativo na demanda pelo modal utilizado nas mais diversas formas como transporte individual, instrumento de trabalho e lazer. “Esse foi um movimento que aconteceu no mundo inteiro, principalmente no Brasil. Hoje passamos por uma nova realidade e estamos adaptando a produção para atender a nova demanda”, explica. “As bicicletas de entrada, que tiveram um “boom” de vendas nos últimos dois anos, agora têm uma procura menor, enquanto os modelos de médio e alto valor agregado tiveram aumento significativo na demanda”, completa.

Diante desse cenário, as fabricantes estão trabalhando para ajustar suas linhas de produção e negociando com toda a cadeia logística para atender ao novo momento do mercado. Gazola explica que esse reajuste de produção, no entanto, não acontece de uma hora para a outra e requer um novo planejamento bastante minucioso.

Além disso, o segmento continua impactado pela escassez de peças e componentes, um problema global que atinge diversas fabricantes. Cerca de 50% dos insumos são provenientes de fornecedores mundiais, principalmente do continente asiático. Entre os componentes que estão em falta, destacam-se sistemas de freios, sistemas de transmissões, suspensões e selins.

 

PROJEÇÃO BICICLETAS 2022

 
 

REALIZADO 2021

PRIMEIRA PROJEÇÃO 2022

PRIMEIRA PROJEÇÃO 2022 / REALIZADO 2021

SEGUNDA PROJEÇÃO 2022

SEGUNDA PROJEÇÃO 2022 / REALIZADO 2021

 
PRODUÇÃO

 749.320

880.000

 17,4%

750.000

 0,1%

Fonte: Associadas Abraciclo

Resultados do primeiro semestre

No primeiro semestre foram produzidas 335.744 bicicletas, volume 5,6% menor ao registrado no mesmo período do ano passado (355.717 bicicletas). Em junho, foram fabricadas 48.210 unidades, recuo de 15,2% na comparação com maio (56.845 bicicletas) e de 27,8% em relação ao mesmo mês do ano passado (66.774 unidades).

Ao avaliar o cenário atual, o executivo afirma que a bicicleta está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas. “O modal virou sinônimo de mobilidade segura, sustentável e saudável, e muitas pessoas incorporaram o hábito de pedalar no seu dia a dia. O Brasil adotou a bicicleta aos seus hábitos de vida. Pedalar está se tornando um programa de família cada vez mais difundido”, ressalta.

 

PRODUÇÃO DE BICICLETAS NO PIM

 

JANEIRO A JUNHO 2021

JANEIRO A JUNHO 2022

%

UNIDADES

355.717

335.744

-5,6%

Fonte: Associadas Abraciclo

 Produção por categoria

Com 214.025 unidades, a Moutain Bike (MTB) foi a categoria mais produzida nos seis primeiros meses do ano. Esse volume corresponde a 63,8% da produção das fabricantes do PIM.

“A MTB é a preferida pelos brasileiros por ser mais versátil. Apesar de terem sido desenvolvidas para uso em terra, encaram com facilidade o asfalto da cidade, mesmo rodando em trajetos e pisos irregulares”, afirma o vice-presidente do segmento de bicicletas.

Em segundo lugar, ficou a Urbana/Lazer (90.314 unidades e 26,9% do volume produzido), seguida pela Infanto-Juvenil (22.187 bicicletas e 6,6% da produção).

Ao fazer uma análise da produção de bicicletas por categoria, Gazola destaca as bicicletas elétricas. Há três anos, o modelo representava apenas 0,3% do volume produzido no primeiro semestre. Hoje esse índice é de 1,6%. “A bicicleta elétrica é uma opção para quem quer aderir ao transporte limpo e sustentável. Excelente alternativa de mobilidade urbana, é tendência de vendas em todo o mundo, representando mais de 50% das vendas de bicicletas no mercado europeu”, explica.

A MTB também é líder no ranking mensal de produção. Em junho, 27.340 bicicletas saíram das linhas de montagem, o que corresponde a 56,7% do volume total fabricado no PIM.  Na sequência, ficou a Urbana/Lazer (14.028 unidades e 29,1% da produção), seguida pela Infantojuvenil (5.331 bicicletas e 11,1%).

PRODUÇÃO DE BICICLETAS NO PIM

 

JUNHO/21

MAIO/22

JUNHO/22

   

CATEGORIA

A

PARTICIPAÇÃO

B

PARTICIPAÇÃO

C

PARTICIPAÇÃO

C/A

C/B

MTB

32.538

48,7%

36.969

65,0%

27.340

56,7%

-16,0%

-26,0%

Urbana/Lazer

20.480

30,7%

14.070

24,8%

14.028

29,1%

-31,5%

-0,3%

Elétrica

2.163

3,2%

1.173

2,1%

1.153

2,4%

-46,7%

-1,7%

Estrada

2.784

4,2%

1.037

1,8%

358

0,7%

-87,1%

-65,5%

Infantojuvenil

8.809

13,2%

3.596

6,3%

5.331

11,1%

-39,5%

48,2%

TOTAL

66.774

100,0%

56.845

100,0%

48.210

100,0%

-27,8%

-15,2%

Fonte: Associadas Abraciclo

Distribuição por região

        No acumulado do ano, a região Sudeste foi a que recebeu o maior volume de bicicletas fabricadas no PIM. Foram enviadas 198.052 unidades, o que corresponde a 59% do total fabricado. Em segundo lugar, ficou a região Sul (66.275 bicicletas e 19,7% da produção). Na sequência, vieram o Nordeste (31.696 unidades e 9,4%), Centro-Oeste (22.897 bicicletas e 6,9%) e Norte (16.824 unidades e 5%).

Em termos porcentuais, o maior crescimento foi registrado na região Norte, com alta de 32,6%. No primeiro semestre de 2021, os estados ficaram com 12.684 bicicletas produzidas em Manaus.

        No ranking mensal, a liderança também é da região Sudeste que recebeu 26.757 bicicletas, o que corresponde a 55,5% da produção. O segundo lugar ficou com a região Sul (7.298 unidades e 15,1% do total fabricado), seguida pelo Nordeste (4.946 bicicletas e 10,3%), Norte (4.876 unidades e 10,1%) e Centro-Oeste (4.333 bicicletas e 9%).

Frases – Cyro Gazola

Vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo

“A Abraciclo revisou para baixo sua estimativa de produção de bicicletas para este ano. A nova perspectiva é fechar o ano com a fabricação de 750 mil unidades, volume muito próximo ao registrado em 2021 (749.320 bicicletas). Tivemos dois anos consecutivos de aumento significativo da demanda com a busca do modal para o transporte individual, instrumento de trabalho e lazer.”

“Hoje passamos por uma nova realidade e estamos adaptando a produção para atender a nova demanda. As bicicletas de entrada, que tiveram um “boom” de vendas, agora têm uma procura menor, enquanto os modelos de médio e alto valor agregado tiveram aumento na demanda.”

“As fabricantes estão ajustando suas linhas de produção e toda a cadeia logística para atender ao mercado. Esse reajuste, no entanto, não acontece de uma hora para a outra e requer novo planejamento bastante minucioso. Além disso, o segmento continua impactado pela escassez de peças e componentes, um problema global que atinge diversas fabricantes.”

“O modal virou sinônimo de mobilidade segura, sustentável e saudável e muitas pessoas incorporaram o hábito de pedalar no seu dia a dia. O Brasil adotou a bicicleta aos seus hábitos de vida. Pedalar está se tornando um programa de família cada vez mais difundido.”

“A Mountain Bike é a categoria preferida pelos brasileiros por ser mais versátil. Apesar de terem sido desenvolvidas para uso em terra, é possível pedalar em diversos tipos de terreno, inclusive no asfalto. Além disso, é equipada com suspensões e maior número de marchas, entre outros itens, que garantem mais desempenho e conforto para o ciclista.”

“A bicicleta elétrica é uma opção para quem quer aderir ao transporte limpo e sustentável. Excelente alternativa de mobilidade urbana, é tendência de vendas em todo o mundo, representando mais de 50% das vendas de bicicletas no mercado europeu”.